*10 diferencias entre el feminismo burgués y el feminismo libertario

Extraido do site: http://noticiasyanarquia.blogspot.com.es

Todos os direitos reservados à: http://noticiasyanarquia.blogspot.com.es/2015/06/10-diferencias-entre-el-feminismo.html

1-    Las feministas burguesas buscan la protección de las mujeres a través de los aparatos coercitivos del Estado. Las feministas libertarias, abogan por la autodefensa de las mujeres en comunidad.

2-    El feminismo burgués desea que toda mujer compita en ‘igualdad de oportunidades’ y sea retribuida según sus méritos individuales. Por el contrario, las feministas libertarias luchan para que cada individuo se desarrolle solidariamente en igualdad y que cada cual sea satisfecho según sus necesidades.

3-    Las feministas burguesas desean la incorporación de mujeres en puestos de poder, en el parlamento y los ejércitos; en las altas gerencias de empresas capitalistas y en los ejecutivos gubernamentales. Las feministas libertarias, desean la abolición de las instituciones jerárquicas. Es por ello que se declaran antiestatistas, anti-militaristas y críticas del parlamentarismo.

4-    El feminismo burgués sostiene que la igualdad de género es un “derecho humano” que debe ser garantizado por el Estado. Las feministas libertarias sostienen que el Estado no puede garantizar la igualdad, pues la igualdad no se puede alcanzar mediante la jerarquización de la sociedad que genera la organización piramidal y represiva del Estado.

5-    Las feministas burguesas crean «conciencia feminista ciudadana», es decir, un conjunto de prácticas y valores que crean a un sujeto dócil y sumiso frente a las relaciones democráticas-neoliberales. Las feministas libertarias crean «conciencia de clase feminista», es decir, principios y finalidades libertarias con la intención de abolir las relaciones de poder y sustituirlas por relaciones libres en igualdad.

6-    Las feministas burguesas insisten en explicar históricamente el feminismo mediante “oleadas” (primera ola, según ola, tercera ola, etc.), ignorando y censurando el feminismo obrero, anarquista y comunitario. Las feministas libertarias, sin obviar los aportes teóricos y coyunturales del feminismo hegemónico, se nutren sobre todo de las luchas históricas de las mujeres de las clases oprimidas y explotadas.

7-    Las feministas burguesas quieren un capitalismo “verde, amable e inclusivo”. Las feministas libertarias luchan contra el capitalismo y contra toda forma de opresión, sea económica, política o cultural.

8-    Las feministas burguesas se vinculan a organizaciones jerárquicas y partidos parlamentarios. Promocionan el electoralismo estatal y la importancia de la inclusión de la mujer en la política burguesa. Las feministas libertarias, se organizan en asociaciones horizontales, practican la acción directa, el apoyo mutuo y la autogestión.

9-    Las feministas burguesas consideran de vital importancia leyes de paridad de género para “feminizar” las instituciones jerárquicas del capitalismo. Las feministas libertarias consideran que la lucha antipatriarcal no se trata de dominar ‘equitativamente’ a la par que los machos estatistas, sino en abolir las relaciones de dominación.

10- Las feministas burguesas desean que el varón colabore en la división del trabajo en el hogar y que sea un complemento de la mujer bajo cánones binaristas. Las feministas libertarias, en cambio, cuestionan radicalmente la héteronormatividad, la estructura familiar patriarcal y el concepto de amor que le sostiene.

Anúncios

*Porque defender mulheres da pocessão patriarcal – Por villorblue

1.Não utizilizo tecnicas de ctl+c igual joice utiliza. Tudo que escrevo penso,existo e digito.Por isso tantos erros gramaticais. A isso peço que relevem. Quem acompanha meus textos e minhas idéias desde a decada de 60 sabe que sou assim. Por este motivo, desafio alguém provar que existe texto igual ao meu na rede ou em qualquer outro lugar. pode encontrar parecido, porém igual, não. Quando coloco algum texto de outro autor no site. Dou total crédito ao mesmo.
2.Não tenho obrigação de mostrar meu nome ou cara para ninguém. Ainda mais para reacionários e fascistas que ficam agredindo pobres e habitantes de outras regiões do pais. Não sou imagem nem um nome qualquer. Sou idéias e ideais. Para mim isso ja basta. Não escondo-me atraz de um nick. Meu pc tem ip.
3.Nos ultimos 50anos. mais de 5000 funcionários publicos estão sendo processados por corrupção no Brasil. Herança de gestores que nunca deram atenção para esta torneira que esvai ao ralo com nossos bolsos.
4.O capitalismo, filho do mercantilismo, existe a mais de 500 anos. Então está na hora de por-mos um fim nele. Quem quiser conhecer melhor essa afiirmação. Que conheça a história e não se baseie na filosofia e economia de adam smith, difundida em todas as faculdades atualmente.
5.É inadimissivel que 150000 pessoas dominem, explorem e controlem o que fazer, ao resto de um planeta de quase 8 bilhões de habitantes, sendo que a metade e mais um pouco desta população são mulheres.
6.Por estes e outros motivos. Digo e afirmo. Meu discurso não é ultrapassado. Ele é mais atual que antes. O que vimos de expereciencias são apenas capitalismo de estado, na união soviética na china e outros. A isso a burguesia chama de comunismo. Porém o comunismo nunca ocorreu como experiencia verdadeira. Jesus o Cristo foi o primeiro comunista quando disse que era preciso repartir o pão. E esta foi a origem da corrente e do pensamento.
7.É inadimisssível que 4 empresas (as 4 irmãs) que controlam 80% das matrizes energéticas do planeta, queiram tomar o pré-sal e, nossos projetos em energia nuclear, nosso nióbio, nossos minérios em geral e nossa agua potável. A grande nação brasileira tem tudo. Praticamente somos autosuficientes.
8.é inadimissivel que a supremacia branca ataque uma mulher que se elegeu com 54% dos votos e que alem de ter que enfrentar uma sociedade machista, chauvinista, patriarcal e a misogina igual ao caso dos adesivos, ainda tem que enfrentar o poderio economico mundial, politicos e empresário entreguistas e reacionários.
9.Por este motivo eu a defendo. Como defendo a qualquer uma quando houver injustiças, defendo o direito de se expressar livremente. De serem donas de seus corpos, almas e mentes.
10.Porém covardia e injustiça eu não admito. Aprendi desde a mais tenrra idade esta virtude. Umas das primeiras lições. quem me conhece sabe que jamais me acovardei diante de injustiças. Agora. Pra vc misógino preconseituoso, não mostro minha cara nem digo meu nome.

Acredito que vc não é digno para isso.

*Saiba um pouco mais sobre a mafia de branco

Ficha Corrida

‘Médicos fantasmas’ do SUS são alvo de investigações

Órgãos apontam servidores de nove Estados e DF que mal aparecem no trabalho

Fraudes vão do registro do ponto à presença em clínicas particulares; para federação, existe conivência de chefes

PATRÍCIA BRITTO, DO RECIFE, PARA FOLHA

Médicos chegam, batem ponto na entrada e vão embora. Atendem em clínicas particulares quando deveriam estar em hospitais públicos. Registram mais horas trabalhadas do que as horas que existem em uma semana ou são vistos no exterior no dia em que “bateram ponto”.

Em ao menos nove Estados e no Distrito Federal, órgãos como Tribunais de Contas, Polícia Federal e Ministérios Públicos identificaram e investigam casos de médicos “fantasmas”, que pouco ou nem aparecem no trabalho. Em muitos casos, com a conivência do poder público.

A maioria cita fraudes no registro de ponto, agravando as filas de pacientes que buscam atendimento no SUS.

Só em junho…

Ver o post original 424 mais palavras

*Judeus estão a fazer um holocausto em Gaza

Extraido e referenciado como fonte à: http://investigandoonovoimperialismo.blogs.sapo.pt

Palestinianos e organizações de direitos humanos que operaram nos territórios da Palestina Ocupada, acusaram Israel de estar a fazer um verdadeiro holocausto contra os estimados 1,5 milhões de habitantes da Faixa de Gaza, no seguimento de uma decisão do ministro israelita da Defesa, Ehud Barak, de cortar completamente o fornecimento de combustível e de electricidade ao território costeiro.

Israel, que em 2005 retirou as suas tropas de ocupação e colonatos da Faixa de Gaza, manteve um controlo apertado em todas as fronteiras de Gaza, reduzindo o pequeno e populoso território a um grande campo de detenção.

Israel acelerou drasticamente o seu castigo colectivo aos habitantes de Gaza, depois da tomada da Faixa pelo Hamas em Junho de 2006. O exército israelita, que exerce uma enorme influência na política israelita, também tem vindo a fazer incursões quase diárias e ataques em Gaza, resultando daí mortes e ferimentos em centenas de palestinianos nas últimas semanas. Crê-se que o grosso das baixas é de civis inocentes.

No domingo, 20 de Janeiro, mais de 90% dos habitantes de Gaza passaram a noite às escuras, pois Israel decidiu interromper o vital fornecimento de combustíveis, ostensivamente para coagir as massas a revoltarem-se contra o Hamas, que recusa legitimar a ocupação israelita do território palestiniano.

O apagão quase total das centrais eléctricas já está a provocar efeitos catastróficos e a paralisar os serviços vitais em toda a Faixa de Gaza.

Fontes hospitalares relataram muitas mortes causadas pela paragem de fornecimento de electricidade.

“Equipamento médico alimentado a electricidade tal como incubadoras, máquinas de diálise e máquinas de respiração artificial, bem como muitos outros equipamentos que salvam vidas, já não funcionam. Isto significa a morte certa para alguns pacientes”, disse Omar al-Shawwa, um paramédico do Hospital Shifa na cidade de Gaza.

O hospital Al-Shifa é o maior hospital em Gaza e tem estado em funcionamento em estado de emergência há dois anos, já que o fornecimento de material médico vital continua a ser restringido por Israel.

“É verdade que os judeus não estão a enviar as nossas crianças para fornos, mas eles estão a matar-nos usando outros meios”, disse al-Shawwa visivelmente triste. “Talvez os europeus e os americanos não acreditem nisto, mas a verdade é que os judeus estão a fazer um verdadeiro holocausto contra o nosso povo.”

As câmaras de televisão mostraram cenas de pôr os cabelos em pé, de crianças palestinianas cuja sobrevivência depende de determinadas máquinas médicas que funcionam a electricidade. No norte de Gaza, uma criança paralisada estava entre a vida e a morte e os membros da sua família tentavam rotativamente mantê-la a respirar usando uma bomba manual de respiração.

Familiares fazem turnos para  ventilar manualmente Maher quando não há electricidade.

Entretanto, oficiais palestinianos e da ONU em Gaza, alertaram para um desastre iminente que afectará todos os aspectos da vida em Gaza.

Hasan Abu Ramadan, um economista palestiniano, disse que a actual catástrofe humanitária na Faixa de Gaza irá aprofundar-se com o continuado bloqueio israelita de combustíveis e alimentos. Ele avisou que a Faixa de Gaza poderá passar de uma situação de profunda pobreza para uma de fome generalizada, doenças e má nutrição.

Abu Ramadan sublinhou que mais de 80% dos 1,5 milhões de habitantes de Gaza estão a sobreviver com a ajuda alimentar de organizações internacionais como a UNRWA [Agência das Nações Unidas para os Refugiados no Médio-Oriente].

Outro aviso urgente foi emitido por John King, dirigente das operações da UNRWA em Gaza.

Falando numa conferência de imprensa improvisada em Gaza, no domingo à noite, King apelou à comunidade internacional para intervir imediatamente de forma a prevenir que aconteça o iminente desastre humanitário

King assinalou que civis inocentes estão a pagar um preço muito alto pelo actual conflito, dizendo que as padarias estão a deixar de fazer pão e que os hospitais estavam frios desde que os geradores de electricidade pararam devido à falta de combustível.

“A ajuda médica não está disponível, o papel não estão disponível, não há cimento para fazer sepulturas, nem estão disponíveis os caixões para os mortos. Também há uma séria falta de alimentos, e os preços dos que ainda existem são muito altos.”

King disse que toda a gente em Gaza tem agora um problema que se está a exacerbar à medida que passa o tempo. Ele afirmou que era vergonhoso que nalguns círculos, numa óbvia alusão a Israel e aos seus aliados, se estejam a arranjar argumentos para a situação em Gaza.

“Não consigo descrever por palavras o que está a acontecer em Gaza.”

Entretanto, círculos de extrema-direita em Israel apelaram a que o governo israelita aniquile os habitantes de Gaza.

Em colonatos judeus na cidade de Hebron e nos seus arredores, na Cisjordânia, colonos judeus foram vistos a dançar numa aparente expressão de alegria pela tragédia em Gaza, com alguns deles a gritar em hebreu “morte aos árabes” e “árabes para as câmaras de gás”.

Ainda antes, colonos com armas automáticas atacaram palestinianos e vandalizaram as suas propriedades em Hebron, à vista de soldados israelitas ocupantes que observaram passivamente. Pelo menos 11 palestinianos foram atingidos, a maioria com pequenos cortes e feridas.

Desde o início de 2008, o exército de ocupação israelita assassinou perto de 40 palestinianos e feriu centenas, tendo muitos ficado com deficiências permanentes.

O banho de sangue de nível pornográfico levou o Relator Especial do Conselho dos Direitos Humanos da ONU sobre a situação dos Direitos Humanos nos territórios ocupados da Palestina, John Dugard, a condenar a morte indiscriminada de palestinianos por parte de Israel.

Dugard disse que Israel devia ter previsto a perda de vidas e os ferimentos provocados a muitos civis quando atingiu o edifício do Ministério do Interior em Gaza, apenas há alguns dias atrás.

As impiedosas mortes, disse Dugard, “levantam sérias questões sobre o respeito de Israel pela lei internacional e o seu empenhamento no processo de paz”.

Ele acrescentou que as atrocidades israelitas violam as estritas proibições ao castigo colectivo contidas na Quarta Convenção de Genebra.

Texto de Khalid Amayreh publicado no Palestinian Information Center a 21 de Janeiro de 2008. Traduzido por Alexandre Leite para a Tlaxcala.

*Interesse dos EUA é se apropriarem do segredo das nossas ultracentrífugas

Extraido e reconhecido todos os direitos à: http://www.horadopovo.com.brroberto amaral,

Transcrito de: http://www.horadopovo.com.br/2004/abril/16-04-04/pag2b.htm

Com a mais moderna tecnologia de enriquecimento de urânio, 100% nacional, e uma das maiores reservas do mundo, o Brasil começa a produzir, em outubro, o produto em escala industrial

O domínio nacional sobre o ciclo do combustível nuclear demandou esforços incomensuráveis e investimentos públicos nos últimos 27 anos, o que garantiu o desenvolvimento de tecnologia 100% brasileira no setor. Sob a responsabilidade da Marinha – cujo empenho para dominar a avançada e estratégica tecnologia se intensificou a partir de 1979, um ano depois que os Estados Unidos suspenderam o fornecimento do combustível para alimentar a usina nuclear de Angra I – o programa desenvolvido em parceria com universidades e empresas nacionais hoje espelha seu sucesso com as ultracentrífugas de enriquecimento de urânio totalmente projetadas e construídas no Brasil. Sem iguais no mundo, hoje são alvo da cobiça norte-americana por, além de serem consideradas mais eficientes e evoluídas das existentes, principalmente pelo baixo consumo de energia em seu funcionamento, alçar o Brasil no domínio de uma tecnologia detida por poucos. “O único país que desenvolveu ultracentrífugas por levitação magnética, conseqüentemente, diferente das outras centrífugas, fomos nós, brasileiros”, afirma o almirante Alan Arthou, diretor do Centro Tecnológico da Marinha.

E é desse segredo que os EUA querem se apropriar, ou seja, do funcionamento das nossas ultracentrífugas. Diferente de todas as demais, o eixo central da nossa ultracentrífuga gira como se estivesse suspenso no ar, quase sem atrito entre as peças. “Ela vive mais tempo e consome menos. Em termos práticos, temos condição de competitividade extraordinária”, explica o ex-ministro da Ciência e Tecnologia Roberto Amaral, destacando: “A energia nuclear não serve só para gerar eletricidade ou para uso militar, ela é fundamental nas áreas médica, industrial e agrícola”.

Durante estes anos de pesquisa e desenvolvimento do programa nuclear nacional foram investidos o equivalente a US$ 1 bilhão. O sucesso do projeto coloca o Brasil entre os produtores mundiais em escala industrial de urânio enriquecido. De acordo com a matéria publicada pela revista Isto É, segundo o Nuclear Fuel Cost Calculator (NFCC), da Holanda, esse mercado movimentou, em 2001, US$ 18 bilhões.

Assim, o Brasil está a poucos meses de atingir a auto-suficiência nuclear, uma vez que a partir de outubro a fábrica de Resende das Indústrias Nucleares Brasileiras (INB) começa a produzir o urânio enriquecido, se somando aos  11 países que disputam o bilionário mercado de combustível nuclear.

Para se ter uma idéia da eficiência e economia, as nossas ultracentrífugas enriquecem urânio a um custo até 70% menor do que o obtido pelos equipamentos existentes nos Estados Unidos, na França e no Canadá. Isso significa que, como exemplo, que as máquinas francesas precisam de duas usinas nucleares, e uma terceira de reserva, para movimentar suas centrífugas de enriquecimento de urânio em escala industrial. Já as brasileiras não gastam praticamente energia nenhuma. Como bem comparou o almirante Othon Luiz Pinheiro da Silva, responsável pelo programa nuclear brasileiro, “o ar-condicionado da sala puxa mais energia do que mil das nossas máquinas”.

“Eles querem nosso segredo a todo custo”, alertou o brigadeiro Hugo de Oliveira Piva, um dos primeiros brasileiros a realizar pesquisas atômicas no Centro de Tecnologia Aeroespacial (CTA). Além da produção em escala industrial de urânio enriquecido, com a auto-suficiência o Brasil poderá ainda concretizar o projeto do submarino de propulsão nuclear, vital para a defesa territorial e de nossas riquezas – e nada menos do que o responsável pelo domínio do ciclo do combustível nuclear, uma vez que todos os projetos do setor nasceram do ímpeto da Marinha do Brasil em desenvolvê-lo.

Leia mais: http://www.horadopovo.com.br/2004/abril/16-04-04/pag2b.htm

*A Globo e a imbecilização do Brasil – Por igor fuser

por Igor Fuser, em depoimento ao Diário Liberdade

A Rede Globo é o aparelho ideológico mais eficiente que as classes dominantes já construíram no Brasil desde o início do século XX. Substitui perfeitamente a Igreja Católica como instrumento de controle das mentes e do comportamento.

A Globo esteve ao lado de todos os governos de direita, desde o regime militar – no qual se transformou no gigante que é hoje – até Fernando Henrique Cardoso. Serviu caninamente à ditadura, demonizando as forças de esquerda e endossando o discurso ufanista do tipo “Brasil Ame-o ou Deixe-o” e as versões sabidamente falsas sobre a morte de combatentes da resistência assassinados na tortura e apresentados como caídos em tiroteios. Mais tarde, após o fim da ditadura, alinhou-se no apoio à implantação do neoliberalismo, apresentado como a única forma possível de organizar a economia e a sociedade.

No plano cultural, é impossível medir o imenso prejuízo causado pela Rede Globo, que opera como o principal agente da imbecilização da sociedade brasileira. Começando pelas novelas, seguindo pelos reality shows, pelos programas de auditório, o papel da Globo é sempre o de anestesiar as consciências, bloquear qualquer tipo de reflexão crítica.

A Globo impôs um português brasileiro “standard”, que anula o que as culturas regionais têm de mais importante – o sotaque local, a maneira específica de falar de cada região. Pratica ativamente o racismo, ao destinar aos personagens da raça negra papéis secundários e subalternos nas novelas em que os heróis e heroínas são sempre brancos. Os personagens brancos são os únicos que têm personalidade própria, psicologia complexa, os únicos capazes de despertar empatia dos telespectadores, enquanto os negros se limitam a funções de apoio. Aliás, são os únicos que aparecem em cena trabalhando, em qualquer novela, os únicos que se dedicam a labores manuais.

A postura racista da Globo não poupa nem sequer as crianças, induzidas, há várias gerações, a valorizar a pele branca e os cabelos loiros como o padrão superior de beleza, a partir de programas como o da Xuxa.

O jornalismo da Globo contraria os padrões básicos da ética, ao negar o direito ao contraditório. Só a versão ou ponto de vista do interesse da empresa é que é veiculado. Ocorre nos programas jornalísticos da Globo a manipulação constante dos fatos.

As greves, por exemplo, são apresentadas sempre do ponto de vista dos patrões, ou seja, como transtorno ou bagunça, sem que os trabalhadores tenham direito à voz. Os movimentos sociais são caluniados e a violência policial raramente aparece.

Ao contrário, procura-se sempre disseminar na sociedade um clima de medo, com uma abordagem exagerada e sensacionalista das questões de segurança pública, a fim de favorecer as falsas soluções de caráter violento e os atores políticos que as defendem.

No plano da política, a Rede Globo tem adotado perante os governos petistas uma conduta de sabotagem permanente, omitindo todos os fatos que possam apresentar uma visão positiva da administração federal, ao mesmo tempo em que as notícias de corrupção são apresentadas, muitas vezes sem a sustentação em provas e evidências, de forma escandalosa, em uma postura de constante denuncismo.

A Globo pratica o monopólio dos meios de comunicação, ao controlar simultaneamente as principais emissoras de TV e rádio em todos os Estados brasileiros juntamente com uma rede de jornais, revistas, emissoras de TV a cabo e portais na internet.

Uma verdadeira democratização das comunicações no Brasil passa, necessariamente, pela adoção de medidas contra a Rede Globo, para que o monopólio seja desmontado e que a sua programação tenha de se submeter a critérios pautados pela ética jornalística, pelo respeito aos direitos humanos e pelo interesse público.

*O PIG e a manipulação das massas – Por villorblue

Carta em resposta de um post de um burgues reacionário:
Não entendo como tentam transpor credibilidade a editora ardil e ao pig em geral.
De todos os poros do pig exalam ódio pelo brasil e o entreguismo barato as grande potencias do capital. Não reconhecem e nunca reconhecerão que o brasil mudou. É a sexta potencia mundial. Se pib ultrapassa até paises como italia, espanha e inglaterra. Nosso desemprego raspa aos 6% ao contrário de paises denominados do primeiro mundo com um desemprego acima de 16%. e alguns casos Nossa saúde é universal e precisa ser melhorada, porém precisamos lutar para que ela melhore e não lutar para privatizala como querem os trucanos. Nos eua para se curar uma mordida de cobra vc pode gastar até 150 mil dolares. No brasil o soro é gratuito.
Não adianta retrogratos. O brasil nunca mais voltará à velha mamata das oligarquias.
Mudamos para melhor. A burguesia ja cuspiu no rosto de médicos cubanos ao chegarem em aeroportos. Porém a marcha seguiu em frente. O mais médicos está aí. Provando sussessos. É só se informarem, ou digitarem no google “mais médicos”. Podem digitar tb “apesar da crise”, e verificarão o brasil de verdade, como o brasil é.
Se existe crise, é a crise da grande mídia burguesa submissa ao colonialismo como sempre. O pig, (como foi bem taxado anteriormente) e que define bem o estado de coisas é quem está em crise.
Basta nos informar-mos : Editora ardil está falindo. rede globo demitindo jornalistas,atrizes e atores.etc. Bandeirantes, sbt, record e outras vendendo seus horários para pastores que não conseguem explicar de onde provem suas fortunas. Todas elas a margem da lei. Porque radios e tv’s são concessões, sendo assim teriam que partir para o óbvio da elevação intelectual do ser humano, ao contrário, disseminam o ódio e colocam o estado religioso como forma correta de existir.
Realmente a crise é do pig, ele esta decadente, hoje pessoas procuram se informar na rede. Ao invéz de ligar a tv e ficar assistindo um idióta que sabe menos que o telespectador, jogando tendencias, como se, quem assiste passivamente fosse moldado intelectualmente para ser um escravo infinitamente.
O brasil mudou, o mundo mudou, não adimitiremos a volta da ditatura, militares existem para cumprir ordens, para serem fieis a contituição. para proteger fronteiras E fazem isso muito bem.
Empregadas domésticas tem suas profissões regulamentadas e talvez, isso seja um fator para que a supremacia-branca queira o retorno das regencias por castas. Negros e indios frequentam faculdades. Entendeu reaça ? Frequentam faculdades e daqui alguns anos tb poderão desenvolver projetos para evolução de todos. A fração glbt vive mais feliz hoje em dia, sabendo que conquistam dia a dia seus direitos. Direitos estes que merecem com certeza, igual a qualquer ser humano que habitante deste planeta.
Pra vc que escreveu sobre a petrobras, Nada mais que normal que o site seja patrocinado por alguém. A lei permite isso. Melhor ser patrocinado pela petrobras, do que ser patrocinado pela cia como éramos anteriormente. Ou pelas 4 irmãs que mandam em 80% da energia mundial atualmente.
O brasil conquistou ao meu ver, o melhor triunfo que uma nação pode conquistar: Saiu do mapa da fome, isso quem diz é a fao/onu, não sou eu. Até a frança esta copiando nossos projetos para o combate a fome. Enquanto isso, em paises adorados como os eua, 20% das crianças não tem o que comer e catam papelão para fazer uma refeição por dia. A torre eifel de vez em sempre fecha o acesso para combater trobadinhas e batedores de carteiras, a grecia tem 60% da população jovem desempregada, “Se fosse apenas pelo brasil ter saído do mapa da fome ja valeria estes 12 anos.
A maior bronca de capitalistas no brasil, é que, imóveis sempre foram vistos como aplicação, (a melhor diziam todos), agora existe o nossa casa, muitos brasileiros compraram suas casas. Crescendo o numero de imoveis a alugar por falta de inquilinos. Prestem atenção se não digo a verdade. E os que não consegem alugar, eles colocam a venda.
Daqui a 6 anos, milhares de médicos serão injetados no mercado, e médicos de qualidade. para o lado humano do paciente, diferente de antigamente, onde ser médico era condição de status. Como bancários e professores jáo foram um dia.
Querem privatizar tudo, até presidios, um jornalista idióta esceveu outro dia que deveriamos acabar com o ensino publico e construir-mos presidios no lugar. Este é o refino do pensameno burgues neo-liberal. Sendo assim, só quem tiver dinheiro poderá alcançar o conhecimento e certificações. Isto é, continuar o status quo que havia até o seculo passado.
O estado, que de acordo com a constituição de 88 é laico. Promove sessões evangélicas de descarrego em plena seção do parlamento. Consequencia destes atos e outros que observamos e podemos provar, crianças são apedrejadas no rio de janeiro e outros estados por não concordarem com a a religião extra-oficial instalada no pais. Os shiitas se sentem protegidos e os unicos a ditarem as regras religiosas. Quem se declara de outra religião em ecolas públicas hoje em dia podem estar correndo sérios riscos.
Uma mulher é eleita, difamam a mesma, fazem e comercializam adesivos pejorativos no livre comercio. O pig, apoiado por minoria burguesa e pequeno-burguesa, vive jogando bosta na vontade de mais de 54% da população brasileira. Difamam, caluniam, prendem pessoas sem provas. Porque fazem isso ? Para manter o staus quo. É a maldita supremacia-branca que não quer lagar as mamatas. As grandes tetas que sempre alimentaram sua luxuria. Induzem as massas a reagir confome suas vozes de comando, rasgam constantemente a constituição, massacran professores em estados geridos por play-boy’s neoliberais.
Por isso a editora ardil e o pig em geral estão falindo. As massas são dirigidas. Porém existem pessoas que enxergam e concientes incansáveis lutam, reistem, denunciam as vezes custando sua liberdade física. Mais resistem.
Como orwel mostrava. O grande irmão ten tentácuos. Porém ainda existe uma certa humanidade em muitos. e estes conscientes, são o diferencial…
Não querendo fazer apologia a este ou aquele partido burgues. Nós lutamos para que o capitalismo seja destruido. O brasil melhorou na ultima década. Esta não seria a formula definitiva, o planeta precisa de evolução. Porém dentro da liberdade de expressão podemos dar passos maiores do que viviamos a 50 anos atraz. Com todos os direitos privados. Inclusive o de se reunir.
Então, deixemos de lado a falta de visão e continuemos combatendo o capitalismo por dentro. Não por fora