*Feliz 2016 Aos Comp@s Que Lutam – Por villorblue

Infelizmente vivemos época de ditadura midiaca, onde armas são trocadas por informações tendensiosas e sistemáticas, influenciando totalmente o pensamento massivo.

Quando não conseguimos furar os bloqueios da mídia patrocinada, temos obrigação (nós, os pouco mais esclarecidos), de manter sempre vivo os agravos históricos.

Foi assim com toda tragetória das investidas para manutenção do satus quo das castas dominantes. Da autocracia imposta em 64, os ataques nazistas contra varios povos em 39, aos massacres sofridos por professores no Paraná e em São Paulo em 2015 e todos os outros.

Estas investidas contra as massas permaneceram vivas porque as gerações as mantiveram vivas.

Vamos divulgando, replicando infinitamente, para que todas estas tragédias e cancros sociais não se transformem em um dia festivo por ano, igual ao primeiro de maio por exemplo, que de; dia de sangue e de luta, virou dia de festa.

De nossa parte, nunca esqueceremos o dia 29/04/2015 na praça do sangue em Curitiba, onde sofremos ataques com bombas, cães de guerra, pimenta nos olhos, nas gargantas e muita covardia por parte do estado. Assim como nunca esqueceremos do primeiro de maio em Chicago.

Boas lutas e um bom 2016 a você e a todos os amigos que lutam para transformar o mundo.

Anúncios

*Vídeo Revela Desastre Ambiental Invisível na Califórnia

EPA/ENVIRONMENTAL DEFENSE FUND

Mais de 60 mil toneladas de gás metano já escaparam para a atmosfera, e o problema não tem solução prevista

É num bairro suburbano de Los Angeles, na Califórnia, que está a acontecer um desastre ambiental que já dura dois meses. Trata-se de uma fuga massiva de gás metano – mais de 68 mil toneladas do gás, causador de efeito estufa, já foram libertadas para a atmosfera, sem que se preveja uma solução em breve. Mas o gás metano é invisível, o que fazia com que o problema fosse fácil de ignorar até uma organização ambientalista ter filmado o local com uma câmara de infravermelhos.

No vídeo do Environmental Defense Fund é possível ver uma coluna de fumo negro a sair do chão. A fuga de metano já levou à evacuação da cidade próxima de Porter Ranch, e a administração local declarou um estado de emergência, mas a fuga não tem solução prevista.

Responsáveis da empresa SoCalGas, que administra os poços de gás natural na região, já afirmaram que a fuga se localiza dentro de um dos seus reservatórios subterrâneos, relativamente perto da superfície.

Não se conhece ainda a causa da fuga que verte gás para a atmosfera há dois meses, tendo já despejado o equivalente das emissões de sete milhões de automóveis, de acordo com o grupo ambientalista que falou ao jornal Washington Post. “É uma das maiores fugas que já vimos”, disse Tim O’Connor, diretor do braço californiano do grupo. “Está a sair com força, em volumes incríveis. E totalmente sem ser contido”.

Em carta enviada ao governador da Califórnia, Jerry Brown, a empresa SoCalGas prometeu envidar todos os esforços para resolver o problema. “A empresa fez um novo poço para aliviar o primeiro, e ainda verteu soluções aquosas e outros materiais para o primeiro poço para tentar selá-lo, até agora sem resultados visíveis”.

Leia na íntegra: http://www.dn.pt/sociedade/interior/video-revela-desastre-ambiental-invisivel-na-california-4958470.html

*Lar Dos Bravos e Terra Dos Livres: 10 fatos chocantes sobre os EUA

ESTATÍSTICAS:

Publicado originalmente em junho de 2012 no portal Diário da Liberdade, texto escrito por Antonio Santos relaciona dez fatos chocantes sobre os Estados Unidos da América que deveriam ser refletidos, de modo especial, pelos defensores ardorosos do American Way of Life.

País que conta com a maior população prisional do mundo, com o índice de pobreza infantil superior aos 22%, nenhum subsídio de maternidade, além de graves carências no acesso à saúde, jamais poderia ser vendido como modelo de organização de sociedade. Os fatos apontados no texto de Antonio Santos deveriam falar diretamente aos que defendem a adoção do modelo estadunidense e fazê-los refletir se, de fato, esse é o melhor modelo que nós, enquanto seres humanos, conseguimos pensar para nos organizar socialmente.

Recentemente, o texto ganhou repercussão nas redes sociais, após ser republicado pelos portais Pragmatismo Político e pela Revista Fórum. Abaixo, o Hum Historiador repercute a íntegra do texto tal como publicado originalmente no Diário da Liberdade.

10 FACTOS CHOCANTES SOBRE OS ESTADOS UNIDOS
por Antonio Santos para o Diário da Liberdade | publicado originalmente em 14.junho.2012

1) Os Estados Unidos têm a maior população prisional do mundo, compondo menos de 5% da humanidade e mais de 25% da humanidade presa. Em cada 100 americanos 1 está preso1.

A subir em flecha desde os os anos 80, a surreal taxa de encarceramento dos EUA é um negócio e um instrumento de controlo social: À medida que o negócio das prisões privadas alastra como gangrena, uma nova categoria de milionários consolida o seu poder político. Os donos destes cárceres são também na prática donos de escravos, que trabalham nas fábricas no interior prisão por salários inferiores a 50 cêntimos por hora. Este trabalho escravo é tão competitivo, que muitos municípios hoje sobrevivem financeiramente graças às suas próprias prisões camarárias, aprovando simultaneamente leis que vulgarizam sentenças de até 15 anos de prisão por crimes menores como roubar pastilha elástica. O alvo destas leis draconianas são os mais pobres mas sobretudo os negros, que representando apenas 13% da população americana, compõem 40% da população prisional do país.

140612 grafico

2) 22% das crianças americanas vive abaixo do limiar da pobreza2.

Calcula-se que cerca de 16 milhões de crianças americanas vivam sem “segurança alimentar”, ou seja, em famílias sem capacidade económica de satisfazer os requisitos nutricionais mínimos de uma dieta saudável. As estatísticas provam que estas crianças têm piores resultados escolares, aceitam piores empregos, não vão à universidade e têm uma maior probabilidade de, quando adultos, serem presos.

3) Entre 1890 e 2012 os EUA invadiram ou bombardearam 149 países3.

São mais os países do mundo em que os EUA intervieram militarmente do que aqueles em que ainda não o fizeram. Números conservadores apontam para mais de 8 milhões de mortes causadas pelos EUA só no século XX. E por detrás desta lista escondem-se centenas de outras operações secretas, golpes de Estado e patrocínio de ditadores e grupos terroristas. Segundo Obama, recipiente do Nobel da Paz, os EUA têm neste momento a decorrer mais de 70 operações militares secretas em vários países do mundo. O mesmo presidente, criou o maior orçamento militar norte-americano desde a Segunda Guerra Mundial, batendo de longe George W. Bush.

4) Os EUA são o único país da OCDE que não oferece qualquer tipo de subsídio de maternidade4.

Embora estes números variem de acordo com o Estado e dependam dos contratos redigidos pela empresa, é prática corrente que as mulheres americanas não tenham direito a nenhum dia pago antes nem depois de dar à luz. Em muitos casos, não existe sequer a possibilidade de tirar baixa sem vencimento. Quase todos os países do mundo oferecem entre 12 e 50 semanas pagas em licença de maternidade. Neste aspecto, os Estados Unidos fazem companhia à Papua Nova Guiné e à Suazilândia com 0 semanas.

5) 125 americanos morrem todos os dias por não poderem pagar qualquer tipo de acesso à saúde5.

Se não tiver seguro de saúde (como 50 milhões de americanos não têm), então, tem boas razões para recear mais a ambulância e os cuidados de saúde que lhe vão prestar, que esse inocente ataquezinho cardíaco. Com as viagens de ambulância a custarem em média 500€, a estadia num hospital público mais de 200€ por noite, e a maioria das operações cirúrgicas situadas nas dezenas de milhar, é bom que possa pagar um seguro de saúde privado. Caso contrário, a América é a terra das oportunidades e como o nome indicam, terá a oportunidade de se endividar até às orelhas e também a oportunidade de ficar em casa, fazer figas e esperar não morrer desta.

6) Os EUA foram fundados sobre o genocídio de 10 milhões de nativos. Só entre 1940 e 1980, 40% de todas as mulheres em reservas índias, foram esterilizadas contra sua vontade pelo governo americano6.

Esqueçam a história do Dia de Acção de Graças, com índios e colonos a partilhar placidamente o mesmo peru à volta da mesma mesa. A História dos Estados Unidos começa no programa de erradicação dos índios. Tendo em conta as restrições actuais à imigração ilegal, ninguém diria que os fundadores deste país foram eles mesmo imigrantes ilegais, que vieram sem o consentimento dos que já viviam na América. Durante dois séculos, os índios foram perseguidos e assassinados, despojados de tudo e empurrados para minúsculas reservas de terras inférteis, em lixeiras nucleares e sobre solos contaminados. Em pleno século XX, os EUA puseram em marcha um plano de esterilização forçada de mulheres índias, pedindo-lhes para colocar uma cruz num formulário escrito num língua que não compreendiam, ameaçando-as com o corte de subsídios caso não consentissem ou, simplesmente, recusando-lhes acesso a maternidades e hospitais. Mas que ninguém se espante, os EUA foram o primeiro país do mundo a levar a cabo esterilizações forçadas ao abrigo de um programa de eugenia, inicialmente contra pessoas portadoras de deficiência e mais tarde contra negros e índios.

7) Todos os imigrantes são obrigados a jurar não ser comunistas para poder viver nos EUA7.

Para além de ter que jurar que não é um agente secreto nem um criminoso de guerra nazi, vão-lhe perguntar se é, ou alguma vez foi membro do “Partido Comunista”, se tem simpatias anarquista ou se defende intelectualmente alguma organização considerada “terrorista”. Se responder que sim a qualquer destas perguntas, ser-lhe-á automaticamente negado o direito de viver e trabalhar nos EUA por “prova de fraco carácter moral”.

8) O preço médio de uma licenciatura numa universidade pública é 80 000 dólares8.

O ensino superior é uma autêntica mina de ouro para os banqueiros. Virtualmente todos os estudantes têm dívidas astronómicas, que acrescidas de juros, levarão em média 15 anos a pagar. Durante esse período os alunos tornam-se servos dos bancos e das suas dívidas, sendo muitas vezes forçados a contrair novos empréstimos para pagar os antigos e ainda assim sobreviver. O sistema de servidão completa-se com a liberdade dos bancos de vender e comprar as dívidas dos alunos a seu bel-prazer, sem o consentimento ou sequer a informação do devedor. Num dia deve-se dinheiro a um banco com uma taxa de juro e no dia seguinte, pode-se dever dinheiro a um banco diferente com nova e mais elevada taxa de juro. Entre 1999 e 2012, a dívida total dos estudantes americanos ascendeu a 1.5 triliões de dólares, subindo uns assustadores 500%.

9) Os EUA são o país do mundo com mais armas: para cada 10 americanos, há 9 armas de fogo9.

Não é de espantar que os EUA levem o primeiro lugar na lista dos países com a maior colecção de armas. O que surpreende é a comparação com o resto do mundo: No resto do planeta, há 1 arma para cada 10 pessoas. Nos Estados Unidos, 9 para cada 10. Nos EUA podemos encontrar 5% de todas as pessoas do mundo e 30% de todas as armas, qualquer coisa como 275 milhões. E esta estatística tende a se extremar, já que os americanos compram mais de metade de todas as armas fabricadas no mundo.

10) São mais os americanos que acreditam no Diabo que os que acreditam em Darwin.10

A maioria dos americanos são cépticos; pelo menos no que toca à teoria da evolução, em que apenas 40% dos norte-americanos acredita. Já a existência de Satanás e do inferno, soa perfeitamente plausível a mais de 60% dos americanos. Esta radicalidade religiosa explica as “conversas diárias” do ex-presidente Bush com Deus e mesmo os comentários do ex-candidato Rick Santorum, que acusou os académicos americanos de serem controlados por Satã.

Hum Historiador

Publicado originalmente em junho de 2012 no portal Diário da Liberdade, texto escrito por Antonio Santos relaciona dez fatos chocantes sobre os Estados Unidos da América que deveriam ser refletidos, de modo especial, pelos defensores ardorosos do American Way of Life.

País que conta com a maior população prisional do mundo, com o índice de pobreza infantil superior aos 22%, nenhum subsídio de maternidade, além de graves carências no acesso à saúde, jamais poderia ser vendido como modelo de organização de sociedade. Os fatos apontados no texto de Antonio Santos deveriam falar diretamente aos que defendem a adoção do modelo estadunidense e fazê-los refletir se, de fato, esse é o melhor modelo que nós, enquanto seres humanos, conseguimos pensar para nos organizar socialmente.

Recentemente, o texto ganhou repercussão nas redes sociais, após ser republicado pelos portais Pragmatismo Político e pela Revista Fórum. Abaixo, o Hum Historiador repercute a…

Ver o post original 1.316 mais palavras

*As Três Funções Existenciais do Estado Burgues: Por villorblue

piramide do capitalismo

As únicas funções próprias do estado burgues, são:

 

*Polícia: Para proteger quem paga imposto, de ataques delinquentes.

 

*Exército: Para proteger as divisas do estado, dos invasores estrangeiros.

 

*Tribunais: Para proteger as propriedades e os contratos, por descumprimentos ou fraudes por terceiros e para resolver as controvérsias mediante regras racionais.

 

Pelo Fim do Estado Burgues de Produção e Dominação

 

 

*Dani Dayan, Um Terrorista Imperialista Israelense Querendo Fincar Os Pés No Brasil – Por villorblue

 

judeus porcos

-Este é um israelense que não deve ser aceito no Brasil (persona non grata).

-Um terrorista que poderá vir ao Brasil fazer apologia do imperialismo israelense, vender a imagem de um estado terrorista que assassina crianças palestinas covardemente e diz ser isso normal e necessário (no google tem milhões de imagens de crianças mutiladas por soldados israelenses).

-Que talvez; tambem venha ao Brasil tentar vender uzis por aqui e América Do Sul !!!

-Vade retrun supremata Dani Dayan. Nao o queremos por aqui…

GENOCIDIO 22

*Queremos no planeta, embaixadores israelenses que falem sobre respeito aos direitos humanos, que conversem sobre a desocupação da Palestina e a devolução das areas ocupadas.

*Queremos embaixadores israelís que falem de paz e que sejam contra o imperialissmo israelense.

*Queremos embaixadores israelenses que apoiem a liberdade de expressão e a liberdade de pensamento dos povos do mundo todo.

*Queremos embaixadores israelís que sejam solidários com os povos do Oriente Médo e do planeta.

*Queremos embaixadores israelenses que reconheçam a Palestina como nação.

*Enquanto Israel assassinar crianças, homens e mulheres…não os apoiaremos !!!

_____________________________________________________________

O desenrolar dos fatos :

Extraído na íntegra do: http://jornalggn.com.br/blog/fabio-de-oliveira-ribeiro/dilma-rousseff-1-x-0-bibi-netanyahu#.Vv0AoBf3mIE.twitter

Dilma Rousseff 1 x 0 Bibi Netanyahu

O conflito diplomático entre Brasil e Israel http://jornalggn.com.br/blog/fabio-de-oliveira-ribeiro/bibi-e-sara-o-casal-infernal-que-nao-vira-as-olimpiadas-do-rio-de-janeiro chegou ao fim. Bibi Netanyahu desistiu de colocar um marginal no comando de sua Embaixada em nosso país.

Dani Dayan não será mais o Embaixador de Israel no Brasil. Ele foi indicado para representar seu país como Consul Geral em New York http://www.irishtimes.com/news/world/middle-east/israel-backs-down-in-spat-with-brazil-over-settler-envoy-1.2589636.

Espero sinceramente que Dani Dayan enfrente bastante resistência nos EUA. Afinal, o sionismo tem sido abertamente questionado naquele país inclusive e principalmente pelos judeus norte-americanos.

A vitória de Dilma Rousseff neste episódio é evidente e significativa. Ela conseguiu fazer aquilo que nenhum outro chefe de estado fez: obrigou Bibi Netanyahu a se curvar à autoridade da Lei Internacional que garante aos membros da ONU o direito de aceitar ou rejeitar a nomeação de um embaixador antes dele ser enviado ao seu destino.

*Como operava um Civita na Argentina. Um “tramposo”

Extraído de: http://www.conversaafiada.com.br/pig/2011/08/28/como-operava-um-civita-na-argentina-um-tramposo

Amigo navegante que conhece as vísceras da Argentina manda dizer

Depois do golpe de 1976, o Almirante Emilio Massera, o mais preparado intelectualmente dos três membros da junta militar (e o mais criminoso de todos eles), torna-se padrinho de Cesare Civita (o irmão mais velho de Victor, que fundou a Abril no Brasil, pai de Robert(o), cérebro da Veja.)

Cesare se considerava prejudicado por um ministro da Fazenda peronista, José Ber Gelbard, por ter sido obrigado a vender ao banqueiro David Graiver a empresa Papel Prensa, que detinha e detém praticamente o monopólio do papel jornal na Argentina.

Deposto o regime peronista, Massera interveio a favor de Cesare.

Cesare, de fato, pela mão de Massera, obteve de Martinez de Hóz, o ministro da Fazenda do Governo do general Rafael Videla e da família Rockefeller, uma série de vantagens compensatórias.

Massera é um dos cérebros do regime que matou 36 mil pessoas.

Martinez de Hóz quebrou a indústria Argentina.

Os militares tomaram a Papel Prensa de Graiver e entregaram à Globo de lá (Clarín) e ao jornal La Nación (a Folha (*) de lá).

Cristina Kirchner vai re-estatizar a Papel Prensa.

Na Argentina, o nome Civita é sinônimo de “basura”.

Um embaixador brasileiro em Buenos Aires contou que ouviu de uma autoridade argentina que Cesare Civita não passava de um “tramposo”.

O amigo navegante ainda procura na estante o livro de memórias de Jacobo Timerman – “Prisioneiro sem nome, cela sem número”.

Cesare Civita lá também aparece, com notável destaque.

A Abril da Argentina fechou.

E Cesare Civita saiu corrido.

Ah, que inveja da Argentina.

Em tempo: a família Rockefeller e seu banco Chase Manhattan estão na origem (visível) dos Civita na América do Sul.

Extraída do http://www.conversaafiada.com.br

http://www.conversaafiada.com.br/pig/2011/08/28/como-operava-um-civita-na-argentina-um-tramposo

Obs.: Texto sussinto, porém serve como ponto de partida para pesquisas aos mais interessados.

*A In-dolarização da Economia Mundial – O Fim da Hegemonia Estadunidense

Rússia dá grande novo passo para sair do dólar

Extraído na íntegra do site: http://blogdoliberato.blogspot.com.br/

.
Traduzido por Vila Vudu

Já há algum tempo a China e a Federação Russa compreenderam, como outras nações, que o calcanhar de Aquiles econômico delas todas é o EUA-dólar como mais importante moeda de reserva mundial. Enquanto Washington e Wall Street controlam o dólar, e enquanto o núcleo duro do comércio mundial exigir dólares para os pagamentos, bancos centrais como o da Rússia e da China são forçados a estocar dólares sob a modalidade de papeis “seguros” da dívida do Tesouro dos EUA, como moedas de reserva para proteger as respectivas economias do tipo de guerra monetária que a Rússia conheceu no final de 2014, quando o adequadamente então renomeado Escritório de Terrorismo e Inteligência Financeira do Tesouro dos EUA & Wall Street derrubaram o rublo, num negócio montado entre EUA e sauditas para pôr em colapso o preço mundial do petróleo. Agora, calmamente, Rússia e China encaminham-se para a porta de saída do dólar.

O orçamento do estado russo depende fortemente dos lucros da exportação em dólares do petróleo. Ironicamente, por causa do papel do dólar, bancos centrais de China, Rússia, Brasil e outros países que se opõem diametralmente à política externa dos EUA são obrigados a comprar papéis da dívida do Tesouro em dólar… o que significa que, de facto, aqueles países estão financiando as guerras de Washington que visam a ferir principalmente aqueles mesmos ‘financiadores’.

Tudo isso, discretamente, está mudando. Em 2014, Rússia e China assinaram dois megacontratos de 30 anos de fornecimento de gás russo à China. Os contratos especificaram que o negócio será pago em renminbi e em rublos russos, não em dólares. Foi o começo de um acelerado processo de desdolarização que está hoje em andamento.
Renminbi nas reservas russas
Dia 27/11/2015, o Banco Central da Rússia anunciou que pela primeira vez estava incluindo o renminbi chinês na cesta oficial de moedas do banco. Em 31/12/2014, as reservas oficiais do Banco Central da Rússia consistiam de 44% de EUA-dólares e 42% de euros, com o pound britânico em pouco mais de 9%. A decisão de incluir o renminbi ou yuan nas reservas oficiais da Rússia aumentará o uso do yuan nos mercados financeiros russos, em detrimento do dólar.
O yuan começou em 2010 a ser negociado no mercado de moedas na Bolsa de Valores de Moscou, embora ainda não plenamente conversível para outras moedas. Desde então, o volume de negócios yuan-rublos cresceu enormemente. Em agosto 2015, os corretores e empresas russos compraram o total recorde de 18 bilhões de yuan, cerca de 3 bilhões de EUA dólares, aumento de 400% na comparação com um ano antes.
© Str
Vem aí o Rublo de Ouro
Mas as ações de Rússia e China para substituir o dólar como moeda de mediação no comércio entre os dois países, cujo volume cresceu significativamente desde as sanções de EUA e UE em março de 2014, são o começo do processo, não o fim.
O ouro está próximo de fazer reestreia dramática no cenário monetário mundial, pela primeira vez desde que Washington rasgou unilateralmente o Tratado de Bretton Woods, em agosto de 1971. Naquele ponto, aconselhado pelo emissário pessoal de David Rockefeller no Tesouro, Paul Volcker, Nixon anunciou que Washington recusava-se a honrar suas obrigações do Tratado, de  resgatar os dólares que houvesse no estrangeiro, em ouro q teria de estar reservado para isso no Banco Central dos EUA.
Desde essa época persistem rumores de que, na verdade, as câmaras de ouro do Fort Knox estão peladas, fato que, se comprovado, comprometeria gravemente o status do dólar como moeda internacional de reserva.
Washington agarra-se empenhadamente à versão de que o Federal Reserve vive acocorado sobre 8.133 toneladas de reservas em ouro. Se for verdade, é reserva muito maior que a segunda, a alemã, que oficialmente, conforme registro do Fundo Monetário Internacional, é dona de 3.381 toneladas.
Em 2014, transpirou um evento bizarro que fez engordar as dúvidas sobre a verdade das estatísticas norte-americanas sobre o ouro. Em 2012, o governo alemão pediu ao Federal Reserve que devolvesse ao Bundesbank, banco central da Alemanha, o ouro pertencente aos alemães e “guardado em custódia” nos EUA. Para surpresa e choque mundial, o banco central dos EUA recusou-se a devolver o ouro alheio, sob a frágil desculpa de que o Fed “não tinha como distinguir barras de ouro alemão e barras de ouro norte-americano”… Talvez se deva concluir que os auditores do Federal Reserve dos EUA foram todos demitidos no processo de reduzir despesas do estado norte-americano?
Depois que o caso virou escândalo universal, em 2013 os EUA repatriaram magras 5 toneladas do ouro alemão para Frankfurt e anunciaram que, até 2020, completariam a repatriação das 300 toneladas solicitadas. Outros bancos centrais europeus puseram-se imediatamente a pedir de volta o respectivo ouro, ante a crescente desconfiança que passou a cercar o Banco Central dos EUA.
Nessa dinâmica, o banco central da Rússia fez crescer dramaticamente suas reservas oficiais de ouro. Dada a crescente hostilidade com Washington, o passou tornou-se ainda mais rápido. Desde janeiro de 2013, o ouro oficial do estado russo cresceu 129%, para 1.352 toneladas, dia 30/9/2015. Em 2000, no final da década de saqueio ininterrupto praticado pelos EUA contra a Federação Russa nos sinistros anos 1990s de Yeltsin, as reservas de ouro da Rússia chegaram a 343 toneladas.
Russia Gold Reserves
Os cofres do Banco Central Russo, que ao tempo da queda da União Soviética em 1991 guardavam cerca de 2.000 toneladas de ouro oficial, foram esvaziados durante o muito controverso mandato do dono do Gosbank, Viktor Gerashchenko, que declarou, a um Parlamento russo (Duma) estupefato, que não fazia ideia de que fim levara o ouro russo.
Hoje sem dúvida os tempos são outros. A Rússia já ultrapassou a África do Sul como terceiro país maior minerador de ouro do planeta em toneladas anuais extraídas. E a China tornou-se o primeiro deles.
A mídia-empresa ‘ocidental’ muito falou de que, desde que se aplicaram as sanções financeiras lideradas pelos EUA, as reservas de dólares do banco central russo caíram significativamente. O que ninguém noticia é que, ao mesmo tempo, o banco central russo passou a comprar ouro, muito ouro. As reservas totais da Rússia em EUAdólares caíram recentemente no período de sanções, em cerca de $140 bilhões desde 2014, paralelo à queda de 50% no preço em dólares do petróleo, mas a quantidade de ouro de propriedade dos russos subiram 30% desde 2014, como mostram os registros. A Rússia é proprietária hoje de tantas onças de ouro quanto as que possuem os fundos de câmbio e comércio em ouro [orig. gold exchange-traded funds (ETFs)]. Só em junho, o país somou ao que já tinha o equivalente a 12% da produção global anual de ouro extraído, segundoseekingalpha.com.
Se o governo russo vier a adotar a proposta muito razoável preparada pelo economista russo e conselheiro pessoal de Putin, Sergei Glazyev – a saber, que o banco central da Rússia compre cada todas as onças de ouro extraído em seu território, a preço em rublos atraente e protegido, para aumentar o lastro ouro do Estado –, ainda menos o banco central terá de comprar ouro nos mercados internacionais pago em dólares.
Hegemon e bancarrota
Ao final dos anos 1980s, quando viram a grave crise bancária nos EUA combinada ao claro declínio da posição em que os EUA estavam no início do pós-guerra, como maior nação industrial do mundo, e com as multinacionais norte-americanas mudando-se para países de baixos salários como o México e depois a China, os europeus começaram a conceber uma nova moeda para substituir o dólar como reserva, e a criação de seus ‘Estados Unidos da Europa’, para se impor contra a hegemonia dos EUA.
A resposta europeia foi invenção do Tratado de Maastricht no momento da reunificação da Alemanha no início dos anos 1990s. Daí resultara o Banco Central Europeu e depois o euro – invenção gravemente viciosa, de cima a baixo. Uma aposta muito suspeitamente bem-sucedida de bilhões, do especulador de fundos hedge em New York, George Soros, em 1992 contra o Banco da Inglaterra e a paridade do pound, conseguiu derrubar o Reino Unido e a Bolsa de Londres e deixá-los fora da emergente alternativa da União Europeia, ao dólar. Foi facílimo para alguns daqueles mesmos fundos, rasgar o euro pelas costuras em 2010, atacando o seu calcanhar de Aquiles, a Grécia, depois Portugal, Irlanda, Itália, Espanha. Desde então, a UE, que também se conecta a Washington pelas cadeias da OTAN, deixou de ser grande ameaça à hegemonia dos EUA.
Contudo, cada vez mais desde 2010, com Washington tentando impor ao mundo a Doutrina de Dominação de Pleno Espectro, do Pentágono, sob a forma da chamada Primavera Árabe, manipulando ‘mudanças de regime’ da Tunísia ao Egito à Líbia e agora, com resultados nada favoráveis para Tio Sam, também na Síria, aconteceu que China e Rússia foram empurradas, uma para os braços da outra. Como alternativa russo-chinesa ao dólar, o rublo, renminbi (ou yuan) com lastro ouro, podem disparar um movimento de saída, como bola de neve, para longe do EUAdólar e, com isso, uma grave quebra na capacidade dos EUA para usar a simples ‘posição’ do dólar como moeda de reserva, para financiar suas guerras com dinheiro alheio.
Assim os interesses que trabalham a favor da paz no mundo ganhariam enorme vantagem competitiva contra os EUA, o hegemon das guerras sempre fracassadas.*****