*FIDEL VIVERÁ PARA SEMPRE – Por villorblue

Um dos poucos estadistas que nunca se submeteram ao capital.

a-a-a-a-a-fidel

Sobrevieu a 638 tentativas de magnicídeo. A maioria destas tentativas foram idealizadas pelo capital internacional.

Cuba divide-se em três épocas:

*A primeira antes da revolução cubana, (Fugêncio Batista), quando o pais era um grande cassino/bordel de estadunidenses e imperava a miséria de seu povo.

*A segunda, após a revolução, onde Fidel e os cubanos esmagaram os “ratos”, que lhes prostituiam as familias e suas crianças reestabelecendo a diginidade a alegria ao povo cubano.

*A terceira foi dando prioridade a saúde e a educação.

Nascimento: 13 de agosto de 1926, Birán, Cuba
Falecimento: 25 de novembro de 2016, Santiago de Cuba, Cuba
a-a-a-a-fidel-castro
Pergunta feita a uma criança cubana de 9 anos de idade:
E quando Fidel for embora ?
Resposta: Temos milhares de Fidéis
 
a-a-a-a-200-milhoes-de-criancas-dormem-nas-ruas-hoje-nenhuma-destas-criancas-e-cubana
200 milhões de crianças dormem nas ruas hoje, nenhuma destas crianças é cubana
Você sabia que o regime político cubano é democracia ? Leia esta analise e entenda: https://radioproletario.wordpress.com/2015/08/13/o-sistema-politico-cubano/

*O Grileiro dos Jardins

Metade das espécies de árvores da Amazônia corre risco de extinção

A história do pecuarista acusado de comandar, em São Paulo, esquema de desmatamento da Amazônia

Helicóptero do IBAMA sobrevoa área desmatada ilegalmente.

O maior desmatador da história recente da Amazônia é filho de um rico e tradicional pecuarista de São Paulo. Ele próprio operava sediado no bairro dos Jardins, na capital. Até ser preso, comandava um esquema sofisticado de desmatamento, grilagem e falsificação no Pará, que contava até com profissionais de geoprocessamento para enganar os satélites de monitoramento. Denunciado por índios, o caso levou a recente operação conjunta entre o Ibama, a Polícia Federal, o Ministério Público e a Receita Federal, revelando detalhes sobre como hoje se organiza o crime na expansão da fronteira agropecuária amazônica.

Operação Kaypó

Era fevereiro de 2014. Luciano Evaristo, diretor de Proteção Ambiental do Ibama, chegava à garagem da sede da instituição em Brasília e conseguia ouvir um burburinho alto vindo do escritório. Dentro de seu gabinete, pintados para guerra, mais de trinta índios kayapós esperavam por ele com arcos e flechas. Luciano teve o cuidado de pedir que depositassem as armas antes de começarem a conversa.

O Plano Básico Ambiental (PBA) do licenciamento da rodovia BR-163, que liga Cuiabá (Mato Grosso) à Santarém (Pará), dá aos kayapós da Terra Indígena Mekrãgnoti, o direito a receber recursos do Governo para compensação de impactos decorrentes da obra. Em 2014, desconfianças do Governo de que os índios estariam desmatando no entorno da Mekrãgnoti levou a retenção desta verba. Os índios não eram os culpados pelo desmatamento, mas eles sabiam quem era. Foram até Brasília a procura de Luciano Evaristo para denunciar um criminoso.

Em São Paulo, empresas de fachada serviam para que o grileiro movimentasse as altas quantias de dinheiro que iam para financiar a atividade ilegal de desmatamento, ou servir de crédito para atrair compradores das terras griladas

“A conversa foi dura”, relembra Luciano. Tão logo os kayapós se foram, ele tratou de levantar as imagens de satélite da região em busca das áreas alvo das denúncias. “Não achei nada nos satélites que indicasse operação de desmatamento em larga escala.” Ainda assim, resolveu confiar nos índios. Luciano desembarcou em Mekrãgnoti em abril de 2014. Lá, um grupo de lideranças kayapós se uniu à equipe de fiscalização do Ibama. Usando um sistema de radioamadores para repassar informações entre si – sinal de telefone celular não pega – os índios já haviam mapeado a localização de acampamentos de desmatadores na floresta.

Encontraram 18 acampamentos. Somados, foram embargados 14 mil hectares. “A maior área já encontrada pelo IBAMA aberta por empreitada de um só infrator ambiental na floresta amazônica”, conta Luciano. A ação ficou conhecida como Operação Kayapó. Presos 40 trabalhadores, logo muitos começaram a falar. Um mesmo nome, então, se repetia. Começava aí a investigação que uniu instituições e resultou, pela primeira vez, na prisão de um chefão do crime operando na floresta.

O milionário das motosserras

O maior desmatador da história recente da Amazônia é filho de um pecuarista milionário de São Paulo. Antônio José Junqueira Vilela Filho – o AJJ Vilela, vulgo Jotinha, nasceu e cresceu em um império bovino montado pelo pai, Antônio José Junqueira Vilela. Junto com a família, Jotinha operava um esquema sofisticado que envolvia desmatamento em série, grilagem de terras públicas, lavagem de dinheiro, falsificação e trabalho escravo no Pará.

O nome de Jotinha começou a circular pelas páginas de embargos do Ibama no Pará nos idos de 2009, embora ligado a áreas desmatadas menores. Foi entre 2012 e 2014, revelam as investigações, que as motosserras de Vilela Filho trabalharam sem descanso. Ao serem presos, ele e seus parceiros acumulavam denúncias de destruição que somavam 30 mil hectares de floresta no município de Altamira (PA), área equivalente ao território de cidades como Fortaleza, no Ceará, ou Belo Horizonte, em Minas.

Continue lendo:

http://brasil.elpais.com/brasil/2016/10/21/politica/1477083654_412438.html?id_externo_rsoc=FB_BR_CM

*Os Equívocos do moralismo na Política

Extraído de : http://jornalggn.com.br/noticia/os-equivocos-do-moralismo-na-politica

Por André Araújo

Quando o Exército americano invadiu o Iraque em 2003, os objetivos eram “limpar” o país da ditadura de Saddam Hussein e criar um novo Iraque. Para tanto, dissolveram a Guarda Republicana, um corpo de elite do Exército Iraquiano, com um efetivo de 75.000 homens divididos em dois corpos e tentaram reformar o Exército regular do Iraque, com efetivos regulares de 800.000 homens. Os americanos dissolveram a Guarda Republicana e os comandos do Exército regular, tentando criar um novo exército sob padrões americanos, entregando a tarefa a uma empresa particular, a Vinnel Corporation.
No substrato do projeto estava a ideia de que todos os antigos comandos eram fanáticos fiéis a Saddam e eram portanto inconfiáveis. Foi um grande erro. Os comandantes da Guarda Republicana, Tenentes Generais Majid Al Dulaymi e Raad Al Hamdani  poderiam ser os melhores aliados dos EUA, bem como o comando do Exército regular (General Talib Al Lahibi), todos oficiais profissionais que temiam Saddam mas não tinham nenhum amor especial a ele.
Todos temiam Saddam e estavam fartos dele, até seus dois genros tentaram derrubar Saddam (e foram executados). O regime se mantinha pelo terror e os EUA foram acolhidos como libertadores. Invés disso, pelo espírito salvacionista que veio junto com a invasão, DISSOLVERAM as colunas mestras do poder no Iraque, a Guarda e o Exército, criando um caos que terminou agora com a insurgência do ISIS, o Estado Islâmico formado na sua espinha dorsal por ex-militares iraquianos. O moralismo é inimigo frontal da REALPOLITIK, a política do possível sem princípios e com a visão da realidade, fazendo o que é possível fazer com os pés no chão e não tentando salvar o mundo.
A má politica americana no Iraque gerou um desgoverno que continua até hoje, os EUA despejaram no conflito do Iraque US$3 trilhões e continuam gastando US$50 bilhões por ano com essa custosa aventura pastoral.
Ao contrário dos ingleses que governaram a Índia por dois séculos com pequenas forças militares mas fazendo acordos com os marajás e rajás, os Americanos querem purificar o mundo e não sabem operar dentro do mundo tal qual ele é, com seus defeitos, vícios, desequilíbrios e realidades, fruto da História.
Esses erros não cometeram na Alemanha ocupada após a Segunda Guerra, porque os homens então eram líderes de intelecto superior, acima do padrão principista que é o usual nos EUA. O General Marshall era um indivíduo de intelecto especial e soube estabelecer os padrões da ocupação usando inclusive ex-nazistas para gerir a Alemanha, culminando com um General da Wehrmacht (Hans Spiedel) como Comandante da OTAN em 1954, o mesmo general alemão que comandou a ocupação nazista da França em 1941. Spiedel não era nazista, mas era um general do Terceiro Reich, foi uma proeza dos Aliados usarem o mesmo homem para o comando das forças terrestres da NATO dez anos depois dele ser o Comandante alemão de Paris.
O fundador da Realpolitik europeia, o Príncipe de Metternich não usou critérios principistas ao se aliar no Congresso de Viena com seu antípoda, o ex-Chanceler de Napoleão, o grande inimigo das potencias que Metternich representava, seu melhor companheiro de Congresso foi o inimigo de véspera, o ultra corrupto Príncipe de Talleyrand, o mesmo que negociou a independência da Polônia por 4 milhões de francos-ouro.(depois devolveu porque não conseguiu fazer).
A tentativa de introdução do moralismo udenista na politica brasileira em 1954 custou a vida do Presidente Getúlio Vargas, mas o moralismo típico da UDN foi afastado por Juscelino, que governou com as mesmas forças do getulismo, considerado corrupto que vinha da aliança PSD-PTB. JK afastou a UDN de um poder que esta considerava já seu e fez o Brasil crescer 50 anos em 5, acusado do primeiro ao último dia de corrupto (“a 7ª fortuna do mundo” diziam), a calúnia usual, dona Sarah teve que vender quadros de seu apartamento para sobreviver.
O moralismo não descansa, grupos com essa visão de mundo, que querem uma política asséptica e a prova de bactérias sempre existiram, eles simplesmente destroem a política na tentativa de reformar o mundo e causam imensos prejuízos ao País. Em circunstâncias especiais eles conseguem por vezes um poder anormal, causam o máximo de danos para depois desaparecer no limbo da História, a política é sempre um jogo nada limpo em qualquer lugar do planeta, é da essência da política, até na política do Vaticano o jogo não é para sacristãos de novela.
O moralismo é inimigo do realismo em política e todo aquele que tenta fugir da realidade acaba trombando com ela em determinado ponto da curva mas, no caminho, causa imensos danos aos infiéis, todos nós, que não rezamos essa missa de fanáticos de uma seita perigosa.

*Donald ou Clinton ? Você Saberia as Grandes Diferenças Entre os Dois ? Por villorblue

Por villorblue:

a-a-a-a-hillary-e-trump

Se levarmos em consideração as últimas declarações de dois candidatos a presidência dos EUA, e entendermos as notícias que correm mundo nos jornalões em suas seções internacionais, conseguiremos antever alguns atos/compromissos que, tanto um como outro terão que assumir após se eleger.

Em fevereiro de 2016, Julian Assange: O fundador da portal Wikileaks Julian Assange, se manifestou nesta terça-feira (9) contra a pré-candidatura de Hillary Clinton à presidência dos Estados Unidos, por considerar que a candidata democrata é favorável a uma “guerra estúpida e sem final”.

Em fevereiro de 2016 Donald Trump: Nos EUA tem muita gente ruim, que não presta (segundo Donald, imigrantes latinos são geralmente traficantes de drogas e estupradores). Construirei um muro entre México e EUA que será pago pelos mexicanos e deportaremos 11 milhões de imigrantes dos EUA, quinze mil por dia.

Baseado nas promessas de governo e as utilizando como pilares, o que podemos entender sobre o que é bom e o que ruim para as massas? Um nacionalista da industria da construção, ou uma internacionalista da industria da guerra ?

O jornalista chileno e analista internacional Pablo Jofré alerta que; com Hillary Clinton na presidência dos EUA, se manteria uma agenda de “ações desestabilizadoras” em toda América Latina.

O presidente do “Banco do México” declarou ao jornal ‘La Jornada’, que, caso as eleições sejam vencidas por Donald, o Banco do México já teria um plano de contingência e Trump presidente seria para a economia do México o mesmo que um furacão mais poderoso de categoria nível cinco e que para a nação, melhor seria Clinton.

A Forbes Brasil, em 03/11/2016 anuncia pesquisa em que: 76% dos brasileiros preferem Hillary Clinton em vez de Donald Trump, o que vai contra opiniões de russos (33% preferem Donald e 11% preferem Hillary) e chineses (44% preferem Trump) isso num panorama, mais ou menos internacional, agora, vejamos o que estas preferências entre um e outra significam.

Existem atualmente residindo ilegal ou legalmente, nos EUA próximo a 1.200.000 de brasileiros (eles pagam para atravessar o deserto guiados por coiotes, R$ 40.000,00, numa viagem a pé que pode durar mais de uma semana), tratando-se de mexicanos, este número pula para 10, 15 vezes mais, não se tem como saber, estima-se que perto a 30.000.000 de mexicanos residam atualmente nos EUA (legal e ilegalmente) em condições difíceis de serem analisadas. O que fica fácil imaginar 28/30.000.000 de mexicanos terem que retornar ao país de origem, numa economia já bastante debilitada como a mexicana e mundial, devido a crise internacional do capital. Por isso a grande preocupação do banco central mexicano. O que seria óbvio, mais de 20 milhões de mexicanos retornando ao méxico em 4 anos seria algo impensável.

E para o resto do mundo o que representa os dois candidatos?

Justamente esta polarização, é que define; quem apoia quem nesta corrida presidencial estadunidense. Hillary representa o establishment da indústria da guerra, para o sociólogo Felippe Ramos, (Hillary transita entre duas contradições. “A candidata democrata está mais próxima da indústria bélica militar, portanto mais propensa a soluções militaristas).

a-a-a-a-hillary-e-osama-bin

Já Trump representa as grandes corporações de construtoras, Nova Iorque começa a ser destino de turismo de luxo com ele, (a partir da compra do ‘hotel Commodore’), sua imagem de tirano foi construída a partir de suas apresentações no programa estadunidense “O aprendiz”. Em sua mania de grandeza chegou ao cúmulo de processar o Deutsche Bank alemão, por ter recusado a emprestar-lhe dinheiro para um projeto imobiliário em Chicago. Quer uma prova ? Quem irá construir um muro na divisa estadunidense ? Quem ameaça e enviará a conta para o México ? Um muro deste custará dezenas de bilhões de dólares, são mais de 3Mil kilometros de divisa entre os dois países, multiplique 3Mil lineares por dez de altura (esta é a alura padrão em muros deste tipo) são 30Mil metros quadrados. Multiplique pelo preço da construção por metro quadrado e terá o valor desta obra, também verá que dezenas de bilhões de dólares não é nenhum exagero.

Qual é melhor ou pior para o Brasil? Se pensarmos em termos práticos, nenhum dos dois. Cinton representa todos os golpes e ingerências que os Estados Unidos fomentam no mundo desde o início do século 20. Aravés de intervenções militares, ou submissão de governos corruptos no planeta (ditaduras militares ou civis na década de 50/60/70/80, acordos como o MEC/USAID e o Consenso de Washington exclusivos ao Brasil, e tantos outros exemplos). Os dois carregam no sangue o ‘ianque’, o arquétipo de John Wayne, que não exitava um segundo em assassinar um índio e após o crime corria o mundo dizendo que o autóctone queria seu escaupulo.

Os dois querem o mesmo, tirar o seu sangue, o meu sangue, o sangue do mundo se for preciso para solucionar seus problemas internos. E problema interno para os americanos e para o estado americano é continuar com sua imagem publicitária de grande nação das oportunidades, (a nação do grande sonho humano, poder, ter, ser maior, ser melhor). Uma nação eugênica e supremata. De pele branca, eurocêntrica, que não pensa duas vezes em destruir uma outra nação para apropriar-lhes de seus recursos. Sanders era o menos pior (apesar de também engajado no establishment), porém era o candidato mais próximo da consciência. E em matéria de ‘sonho americano’ eles não conseguem resolver o problema de Detroit, uma cidade que já foi o ícone deste ‘sonho americano’ e hoje se queda falida, sua população na miséria e sem perspectiva de melhora (não existe interesse no capital na melhora do idh na cidade de Detroit). Este é o sonho americano que eles vendem sem proporções e 99% da população mundial compra. Investem muito nesta propaganda/logística/ação toda para que o retorno seja uma micharia.

Sintetizando o que diziamos no começo, Donald quer expulsar os imigrantes dos eua porque irá precisar deles em seus paises de origem -ou não- (terceiro mundo) como mão de obra barata e Clinton precisará destes imigrantes para trabalhar na industria de material bélico, ou substituir americanos em subempregos para que estes trabalhem nestas industrias.

a-a-a-a-detroit-cidade-falida

Não custa lembrar que o movimento migratório serve para regular o fator capital/trabalho, ou especificando, o mercado de trabalho/reivindicação salarial, e como o desemprego nos EUA tende a aumentar, é óbvio que a migração estadunidense comece a caçar os imigrantes e a deporta-los. Porém, quando/e/se a mão de obra nos EUA votar a ter escassez e a pressão por salários aumentar, eles promoverão a imigração para os EUA novamente (a trabalho) acenando com a bendeirinha da terra prometida, funcionando o “movimento migratório” como uma torneira reguladora de salários, mais mão de obra menos salários ou salários mais baixos. É assim que funciona na economia de mercado.

____________________________________________

No Brasil, entre empresários, políticos, mídia e outros, é fácil entender quem prefere (ou apóia) Clinton ou Donald (pelo discurso na mídia brasileira):

Quem apóia a industria armamentista e a liberação de armas no pais e a beligerancia entre Brasil e a Améria Latina (prefere Clinton).

Quem luta pela destruição da industria da construção brasileira, facilitando assim a entrada de grupos construtores gringos no Brasil (prefere Trump).

QUAL DOS DOIS VOCÊ PREFERE ???

_____________________________________________

PORQUE DONALD ?

Estadunidenses sabem que precisam da China (maior detentor da divida publica dos EUA) e da Russia para erguerem sua economia. Por isso o elegeram.

Links de apoio:

http://noticias.uol.com.br/ultimas-noticias/efe/2016/02/09/trump-diz-que-muro-entre-estados-unidos-e-mexico-custaria-us-8-bilhoes.htm
http://g1.globo.com/mundo/eleicoes-nos-eua/2016/noticia/2016/02/fundador-de-wikileaks-diz-que-votar-em-hillary-e-votar-favor-da-guerra.html
http://zh.clicrbs.com.br/rs/noticias/noticia/2015/09/trump-insiste-em-muro-com-mexico-no-segundo-debate-republicano-4849785.html
http://www.telesurtv.net/news/Alertan-de-peligro-para-paises-progresistas-de-ganar-Clinton-20161103-0052.html
http://www.jornada.unam.mx/ultimas/2016/11/03/preparamos-plan-de-contingencia-en-caso-de-victoria-de-trump-carstens
http://www.forbes.com.br/colunas/2016/11/76-dos-brasileiros-preferem-hillary-clinton-a-trump-diz-pesquisa/
http://www.bbc.com/portuguese/noticias/2002/021224_mexicoimigracaors.shtml
https://silvanashelton.com/numero-de-imigrantes-nos-estados-unidos-e-quase-o-maior-da-historia-do-pais/
http://brainly.com.br/tarefa/268302
https://www.brasildefato.com.br/2016/10/28/estados-unidos-decidem-entre-uma-candidata-pro-guerra-e-um-conservador/

https://theintercept.com/2016/11/04/tres-novos-escandalos-confirmam-denuncias-iniciais-de-snowden-sobre-vigilancia-em-massa-no-ocidente/

http://houstoncommunistparty.com/assange-clinton-is-a-cog-for-goldman-sachs-the-saudis-john-pilger-exclusive-video-transcript/